Cobogó • Elemento Vazado

Hoje o post vai esbanjar charme! É com muito orgulho que te digo que o Cobogó é de origem nacional, e foi criado na década de 1920 no nordeste brasileiro. Um elemento vazado com influencia da arquitetura árabe. Sou apaixonada por design regional, quando o item abraça funcionalidade a partir da necessidade do lugar. Em um pais com clima tropical, o Cobogó foi criado a fim de ventilar os ambientes e também trazer a querida luz natural.


Já que falei em luz natural, não posso deixar de te lembrar como o Cobogó acompanhado de luz natural pode decorar o ambiente. Um trabalho lindo de luz e sombra. Mas também pode ser especificado para filtrar o excesso de iluminação. Sabe, aquele sol de fim de tarde?


Hoje, diversas marcas trabalham o design para as peças em vários estilos. Desde de formas geométricas até curvas mais trabalhadas. Originalmente são feitos de cimento e areia. Modelos mais novos em cerâmica, porcelana, mármore ou vidro. E, os queridos podem deixar sua obra mais barata!





Na área de Design de Interiores o Cobogó é Decor por si só! Criado para ambientes externos, agora é usado dentro dos espaços e muitas vezes com a finalidade de decorar mesmo, ou com a função de delimitar o layout dentro de casa. São usados também para ''fechar'' aquele ambiente que não possui janelas. E, pode apostar o Cobogó na Decor do seu jardim. As peças possuem uma leveza incrível e fazem a composição perfeita com o verde, além de protejer as plantas mais sensíveis ao sol.


Agora, originalmente o cobogó foi usados em fachadas de edificios, o que já acho incrível. Então uma linda opção é montar uma paginação com algumas lacunas em fachadas de casas ou muros que cercam a propriedade, trazendo mais delicadeza à arquitetura. Pra finalizar, uma curiosidade: CO-BO-GÓ é quase um trava língua e não é só você que se enrola na hora de pronunciar! A palavra é a junção dos nomes dos criadores do elemento: Amadeu Oliveira CO-imbra, Ernest August BO-eckmann e Antônio de -is. Legal né?


O que achou do Post? Comenta lá embaixo. Vou adorar saber!